Cambuci e Itaperuna apresentaram aumento superior a 100% no número de casos confirmados do novo coronavírus na última semana, entre os dias 02 de agosto e o sábado (08). Além das duas cidades, Itaocara, Miracema e Porciúncula também registraram aceleração da pandemia, segundo levantamento do Painel Covid-19 Norte e Noroeste Fluminense com base nos dados divulgados pelas prefeituras.

A análise mostra uma clara diferença entre as duas regiões. Enquanto todas as cidades que tiveram elevação significativa na quantidade de infectados são do Noroeste, os sete municípios que fecharam a semana com desaceleração no índice de novos casos são do Norte Fluminense.

Cardoso Moreira, com redução de 74,4%, teve a maior queda, seguido por Carapebus, Macaé, Quissamã, São João da Barra, São Fidélis e Campos.

Para este levantamento, o Painel utiliza como critério para aceleração da pandemia os municípios que tiveram mais de dez casos em uma semana. As cidades que registraram uma redução superior dez casos estão classificados em desaceleração, enquanto as que ficaram no meio termo estão em estabilidade.

Cambuci fechou a última semana com aceleração de 185,7% dos novos casos em comparação com os sete dias anteriores, entre 26 de julho e 1º de agosto. O município é o único das duas regiões sem confirmar nenhuma morte – o boletim da Secretaria Estadual de Saúde apresenta um óbito – e também é o que possui o menor número de pacientes diagnosticados com a doença (116).

No entanto, a cidade do Noroeste Fluminense passou de sete casos confirmados, entre 26 de julho e 1º de agosto, para 20 na semana passada. Com isso, a cidade chegou aos 116 infectados e foi a última da região a ultrapassar a marca dos 100 pacientes.

Itaperuna supera Campos e Macaé

A situação de Itaperuna também causa preocupação. A maior cidade do Noroeste Fluminense saltou de 147 para 316 novos casos de Covid-19 na última semana e registrou uma aceleração de 115%. Esta é a segunda pior semana desde o início da pandemia, atrás apenas dos 339 registros entre 21 e 27 de junho.

Os 316 casos confirmados também superaram os 273 de Macaé e os 255 de Campos, fazendo de Itaperuna o município de toda a região com a maior quantidade de infectados na última semana. É a primeira vez desde o início da pandemia que a cidade do Noroeste –  mesmo com quatro e cinco vezes menos habitantes, respectivamente –  fica à frente das outras duas no levantamento semanal.

A boa notícia é que Itaperuna apresentou a terceira semana seguida com redução na quantidade de mortes causadas pelo coronavírus. De 11 óbitos, entre 12 e 18 de julho, o índice caiu para nove, entre 19 e 25 de julho; depois para sete, entre 26 de julho e 1º de agosto; e para quatro, entre 02 e 08 de agosto.

Alerta redobrado

O índice de infectados voltou a crescer também em Itaocara, passando de 26 para 41 em sete dias. A alta de 57,7% colocou o município em atenção, principalmente pela quantidade de mortes, que chegou a 15 na última semana. Já em Miracema, o aumento foi de 45,8%. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, foram 35 pacientes diagnosticados com a doença entre 02 e 08 de agosto, enquanto nos sete dias anteriores foram 24 registros.

Porciúncula fecha a lista dos municípios com aceleração da pandemia. Após atingir a marca dos 70 infectados entre os dias 19 e 25 de julho, a prefeitura decretou lockdown e o número caiu para 49 na semana seguinte. No entanto, o índice voltou a subir para 68 e esteve perto de alcançar o pico da doença, até o momento.

Em queda

Se na semana anterior sete dos nove municípios do Norte Fluminense registraram aceleração no número de casos, entre 02 e 08 de agosto a situação foi inversa. Cardoso Moreira e Carapebus tiveram as maiores reduções, com -74,4% e -65,4%, respectivamente.

Enquanto em Cardoso Moreira a quantidade de novos pacientes passou de 39 para 10, em Carapabus os registros foram de 26 para nove.

No entanto, são os números das duas maiores cidades da região que chamam mais atenção ainda. Em Macaé, a quantidade de pessoas que testaram positivo para o coronavírus despencou de 682, na semana anterior, para 273. A redução foi de 60% no período. Já em Campos, o índice caiu de 318 para 255 (-19,8%). É a primeira vez em três semanas que o município mais populoso do interior fluminense apresentou desaceleração.

Painel Covid-19 | Norte e Noroeste FluminenseFacebook:https://www.facebook.com/covid19nortenoroeste/
Twitter: https://twitter.com/painelcovid